A história do blog Um Brinco no Casa.com.br

222

0

Clique na imagem para vê-la no portal

ClipingCasaCom

1. Como começou a história do Um Brinco? É um blog que virou uma agência ou uma agência que virou um blog?
É uma longa história. Quando fiz vestibular não me conhecia bem. Escolhi Comunicação/Jornalismo sem nenhuma convicção. Segui a vida, me formei, trabalhei por quase 30 anos em diversos veículos, principalmente em TV. Paralelamente, fazia uma busca interna até admitir que não gostava de jornalismo e que era apaixonada por tudo o que era ligado à estética: de música às artes plástica, passando pela fotografia e decoração. Foi a primeira pista. E voltando um pouco à minha infância, me dei conta o quanto a casa tinha uma importância simbólica muito grande para mim.Na vida adulta sempre fui organizada e interessada pelo tema “decoração”. As minhas casas eram sempre muito elogiadas pela ambientação que eu criava por feeling e muita pesquisa. Uma pesquisa prazerosa, de quem tem interesse de verdade. Um dia resolvi dar uma guinada radical na vida e correr atrás do que me fazia feliz. Abandonei o jornalismo, fiz uma viagem para Nova York e voltei de lá com um ensaio sobre a cidade que rendeu três exposições ao longo de 2008. Já fazia fotografia paralelamente ao jornalismo. Me profissionalizei e me abri para novas possibilidades. Fiz um curso de organização e criei a agência de organização de interiores Um Brinco. O nome caiu com uma luva. Era a expressão conhecida por todos que melhor sintetizava a essência da atividade. Para divulgar, criei um site. Mas achei insuficiente porque era estático. Foi quando surgiu a ideia do blog, já que além de organização também poderia escrever sobre decoração, minha grande paixão. Já no primeiro post teve uma grande repercussão, o que me animou a prosseguir.
2. Hoje ele é um projeto pessoal ou é um trabalho?
Começou como um projeto pessoal até virar um trabalho, uma fonte de renda. Cresceu muito rápido, as pessoas se identificaram muito. Senti que era algo diferente porque os meus posts sempre foram feitos com alma e reflexão. Não dou apenas dicas ou mostro trabalhos de arquitetos, me interessa muito descobrir o que está por trás de uma tendência, decifrar a beleza de uma composição, saber como a beleza se forma na decoração, falar sobre o significado da casa como lar nos dias de hoje e compartilhar tudo isso com as pessoas. Passei a trabalhar 8 horas por dia, com o maior prazer. Nada como fazer o que a gente gosta! Já é meio caminho para o bom resultado.Hoje o blog é a minha fonte de renda direta e indiretamente. Além dos anúncios e das parcerias, ele alimenta o trabalho de organização de interiores, de fotógrafa e até mesmo de decoradora. E aí veio o prêmio TopBlog, que foi mais um estímulo pelo reconhecimento. Este ano estou concorrendo novamente. No final, das contas, minha experiência como jornalista e profissional de comunição ajudaram muito, assim como a fotografia, o trabalho com imagens e a paixão pelas Artes Plásticas e a Filosofia. Tudo acabou confluindo para o sucesso do blog, tudo foi se encaixando. Enfim, o mais legal foi a descoberta de que eu poderia me reinventar. Isso traz muita felicidade, segurança e uma enorme sensação de liberdade.
3. Quanto tempo esse trabalho ocupa do seu dia?
Hoje eu tenho que me dividir entre as atualizações, outros blogs que administro, o trabalho de organização de interiores, os cursos de organização, a fotografia de interiores e uma coluna mensal na revista eletrônica Revestir. Peço sempre desculpas por não conseguir dar conta de responder todos os comentários. Outro dia desejei muito ter um clone para me ajudar. Não tenho equipe, faço tudo sozinha.
4. Sobre o quê você costuma escrever nele?
Escrevo sobre decoração, design, arquitetura e organização. Sobre o que me desperta interesse, sobre tendências – não modismos. O que me interessa são os sinais de comportamento do nosso tempo, o que as pessoas estão buscando em termos de decoração. Sempre tem um pouquinho de filosofia nos meus textos de decoração. Fico fascinada com as mudanças que ocorrem nesse campo e tento decifrar as motivações.
5. O que é o mais bacana em ter um blog? Por que você acha que as pessoas gostam de ler notícias, novidades e lançamentos neles?
Bem, dizem que tenho muito bom gosto. As pessoas se encantam com as imagens que seleciono e com os comentários que faço, com os segredinhos que revelo e com as explicações. Acho que a minha abordagem é diferente da maioria dos blogs sobre o tema. Com minhas postagens, muita coisa passa a fazer sentido para elas. Que bom! Viva a diferença!
1. Como começou a história do Um Brinco? É um blog que virou uma agência ou uma agência que virou um blog?
É uma longa história. Quando fiz vestibular não me conhecia bem. Escolhi Comunicação/Jornalismo sem nenhuma convicção. Segui a vida, me formei, trabalhei por quase 30 anos em diversos veículos, principalmente em TV. Paralelamente, fazia uma busca interna até admitir que não gostava de jornalismo e que era apaixonada por tudo o que era ligado à estética: de música às artes plástica, passando pela fotografia e decoração. Foi a primeira pista. E voltando um pouco à minha infância, me dei conta o quanto a casa tinha uma importância simbólica muito grande para mim.Na vida adulta sempre fui organizada e interessada pelo tema “decoração”. As minhas casas eram sempre muito elogiadas pela ambientação que eu criava por feeling e muita pesquisa. Uma pesquisa prazerosa, de quem tem interesse de verdade. Um dia resolvi dar uma guinada radical na vida e correr atrás do que me fazia feliz. Abandonei o jornalismo, fiz uma viagem para Nova York e voltei de lá com um ensaio sobre a cidade que rendeu três exposições ao longo de 2008. Já fazia fotografia paralelamente ao jornalismo. Me profissionalizei e me abri para novas possibilidades. Fiz um curso de organização e criei a agência de organização de interiores Um Brinco. O nome caiu com uma luva. Era a expressão conhecida por todos que melhor sintetizava a essência da atividade. Para divulgar, criei um site. Mas achei insuficiente porque era estático. Foi quando surgiu a ideia do blog, já que além de organização também poderia escrever sobre decoração, minha grande paixão. Já no primeiro post teve uma grande repercussão, o que me animou a prosseguir.

2. Hoje ele é um projeto pessoal ou é um trabalho?
Começou como um projeto pessoal até virar um trabalho, uma fonte de renda. Cresceu muito rápido, as pessoas se identificaram muito. Senti que era algo diferente porque os meus posts sempre foram feitos com alma e reflexão. Não dou apenas dicas ou mostro trabalhos de arquitetos, me interessa muito descobrir o que está por trás de uma tendência, decifrar a beleza de uma composição, saber como a beleza se forma na decoração, falar sobre o significado da casa como lar nos dias de hoje e compartilhar tudo isso com as pessoas. Passei a trabalhar 8 horas por dia, com o maior prazer. Nada como fazer o que a gente gosta! Já é meio caminho para o bom resultado.Hoje o blog é a minha fonte de renda direta e indiretamente. Além dos anúncios e das parcerias, ele alimenta o trabalho de organização de interiores, de fotógrafa e até mesmo de decoradora. E aí veio o prêmio TopBlog, que foi mais um estímulo pelo reconhecimento. Este ano estou concorrendo novamente. No final, das contas, minha experiência como jornalista e profissional de comunição ajudaram muito, assim como a fotografia, o trabalho com imagens e a paixão pelas Artes Plásticas e a Filosofia. Tudo acabou confluindo para o sucesso do blog, tudo foi se encaixando. Enfim, o mais legal foi a descoberta de que eu poderia me reinventar. Isso traz muita felicidade, segurança e uma enorme sensação de liberdade.

3. Quanto tempo esse trabalho ocupa do seu dia?
Hoje eu tenho que me dividir entre as atualizações, outros blogs que administro, o trabalho de organização de interiores, os cursos de organização, a fotografia de interiores e uma coluna mensal na revista eletrônica Revestir. Peço sempre desculpas por não conseguir dar conta de responder todos os comentários. Outro dia desejei muito ter um clone para me ajudar. Não tenho equipe, faço tudo sozinha.

4. Sobre o quê você costuma escrever nele?
Escrevo sobre decoração, design, arquitetura e organização. Sobre o que me desperta interesse, sobre tendências – não modismos. O que me interessa são os sinais de comportamento do nosso tempo, o que as pessoas estão buscando em termos de decoração. Sempre tem um pouquinho de filosofia nos meus textos de decoração. Fico fascinada com as mudanças que ocorrem nesse campo e tento decifrar as motivações.

5. O que é o mais bacana em ter um blog? Por que você acha que as pessoas gostam de ler notícias, novidades e lançamentos neles?
Bem, dizem que tenho muito bom gosto. As pessoas se encantam com as imagens que seleciono e com os comentários que faço, com os segredinhos que revelo e com as explicações. Acho que a minha abordagem é diferente da maioria dos blogs sobre o tema. Com minhas postagens, muita coisa passa a fazer sentido para elas. Que bom! Viva a diferença!

Poderá gostar também de:
TopBlog DecoracaoFloral UmOlharSobreWabiSabi MundoPatchwork (2) copy

Share.

About Author

Este blog é de autoria da decoradora, organizadora de interiores, consultora em decoração e organização, Veronica Fraga, que também é fotógrafa, jornalista e colunista da Revista Rio Arquitetura e Design. Uma pessoa multifacetada e apaixonada por tudo o que é ligado a estética.

Leave A Reply