As cores de 2013

3

Não acredito em tendências, mas que elas existem, existem.

 

Qual é o clima que quer dar à sua decoração? Natural? Sofisticado? Vintage – como na época em que as mulheres assavam tortas de maçã? Uma explosão de alegria? Mistério? Ou tudo isso junto ao mesmo tempo? Foi pensando nessa diversidade de possibilidades e de desejos produzidos por uma enorme gama de estímulos, opções e informações estéticas a que estamos expostos que a Sherwin-Willians, uma das maiores fabricantes de tintas do país, propôs a cartela de cores “Os opostos se atraem” para 2013. Levando em conta estudos de outros institutos, achei essa a melhor maneira de abordar algo novo que surge como tendência.

Este conceito “os opostos se atraem” permite vivenciarmos várias temporalidades e necessidades de expressão atuais simultaneamente.

 

Pela empresa Yoo de Phillipe Starck

Podemos experimentar, num mesmo ambiente, claro + escuro, sombrio + alegre, natural + urbano, sofisticado + despojado, clean + barroco e por aí vai.


Filme Melancolia

Cenário do filme Hery Potter

Os estímulos estão por toda parte, nas redes sociais, na música, no cinema. Como são muitos, nos despertam a vontade de vivenciar diversas experiências sensoriais, cênicas e formais ao mesmo tempo. Queremos transformar a casa num paraíso e num reduto que nos proteja do mundo lá fora. É nela que realizamos nossos sonhos. E os opostos, além de permitirem uma multiplicidade desejos, funcionam muito bem na decoração porque produzem contrastes únicos, personalizados, impactantes e que provocam emoções.

 

Murilo Lomas

A nova cartela Sherwin-Willians Colormix 2013 não tem “a cor do ano” pelos motivos descritos acima. Em vez disso, traz 40 opções de cores com o objetivo de estimular as diferenças e a combinação de antagônicos, divididas em quatro coleções: Midnight Mystery, Honed Vitality, Vintage Moxie e High-Voltage.

Neon décor

Já a Colour Future, da Coral, elege o “violeta inspirado” (90BB09/196) como a cor de 2013.

Segundo o instituto, é um índigo com um toque de violeta, nobre, sábio e profundo associado à honestidade.

No mais, os diversos estudos chegaram a conclusões muito semelhantes.

As cores são escuras, como o marrom escuro, o ameixa, o vinho e o verde garrafa. As tonalidades saturadas podem agregar sofisticação. A madeira queimada escurecida, a elegância do não polido, luxo escuro. Entre as cores, a “Olde Word Gold” se destaca.

 

Por Cris Santos

Fazem parte dessa tendência o steampunk, subgênero da ficção científica que ganhou fama no final dos anos 80 e início dos anos 90. Tratam-se de obras ambientadas no passado, ou num universo semelhante a uma época anterior da história humana, no qual os paradigmas tecnológicos modernos ocorreram mais cedo do que na História real, mas foram obtidos por meio da ciência já disponível naquela época.

 

Steampunk

Steampunk (no detalhe) por Patrícia Fiúza – Casa Cor RJ 2012

A ficção steampunk se foca mais sobre a tecnologia real ou teórica da era vitoriana (1837-1901), inclusive motores a vapor, aparelhos mecânicos e a máquina diferencial (capaz de efetuar os cálculos necessários para construir tabelas de logaritmos). O gênero tem se expandido até para cenários medievais e geralmente passeia pelos domínios do terror e da fantasia. Várias sociedades secretas e teorias conspiratórias são geralmente apresentadas. Além disso, há frequentemente influências ocultistas e góticas e toque industrial.

Espírito exótico

 

A bebida Absinto, chamada de “fada verde” com gosto de anis, era o sabor preferido dos boêmios parisienses do século XIX.

Romantismo teatral – uma atmosfera da virada do século está em pauta novamente.

 

 Palácio Nacional Da Ajuda (Portugal)

Alguns falam em toques masculinos: bibliotecas, artefatos de coleções…

 Design de interior realizado e pela empresa Yoo de Phillipe Starck

 

Jorge Elias – Mostra Black 2012

Honed Vitaly (Cores da Terra)


O tempo e a natureza trabalham juntos para criar uma beleza suave que é, ao mesmo tempo, repousante e reconfortante. Inspirados nas camadas geológicas minerais, nas pedras e na rusticidade das fazendas.

Cores terrosas e argilas, materiais crus e orgânicos, acabamentos foscos e rústicos.

 

Por Marcio kogan

Uma estética caseira inspirada numa apreciação renovada pelo artesanato, atenção ao feito à mão, valorizando mais as habilidades domésticas.

 

 

Fonte: Colour Future

 

 

Uma busca pelo tempo em que o pão era assado em casa.



É uma trégua à loucura estressante das grandes cidades. A necessidade de interação humana com a natureza.

Paleta

Nesta coleção temos conceitos como a “imperfeição perfeita” dos trabalhos manuais, que surgem em formas de tecidos tingidos, acabamentos foscos e pigmentos orgânicos, cores e texturas da terra, que remetem aos grãos, às raízes, às sementes, à erosão do tempo.

A cor “Spiced Cider” é apontada como a mais forte do grupo.

Por Clara Madalon – Casa Cor RJ 2012

Vintage Moxie (Coragem Vintage)

 As mulheres se sentem belas como antigamente, porém com certo apelo ao moderno. Como nos 50 e 60, o glamour dos florais, das pérolas e das silhuetas clássicas femininas é temperado com atitude e toque divertido.

 

Os tons pastéis, ou candy colors, são realçados, incluindo os das gemas semipreciosas como o citrino, perídoto e ametista, destacados pelos neutros.

 

O olhar ainda é refinado, mas muito mais livre do que naquela época.

Da moda para a decoração, o glamour feminino está de volta nas estampas geométricas, nos toques estilo Emilio Pucci e na nova coleção atemporal de Marks & Spencer.

Verão 2013

Elementos da cultura pop e dos programas de TV da época. Pequenos toques de preto são adicionados à palheta para contrastar.

 

Paleta

 

 

Entre as cores, o verde mentolado “Aloe” é o destaque.

 

 High-Voltage (Alta voltagem)

 Eletrônicos, pop, rock alternativo e tecnologia digital. Plugando todas essas influências, acontecerá uma explosão em alta voltagem de cores vibrantes.

Tons fortes e brilhantes como o neon necessitam de um contraste purificador do preto, do branco, dos cinzas e das transparências.

 

A bioluminescência dos habitantes das profundezas do mar é levada para os interiores.

 Jelly Fish com Led

O neon aparece em luminárias, móveis, frases, cabos…

Poltrona Disco Chair criada pela empresa Kiw & Pom com fios eletroluminescentes

Escultura em vidro luminescente da português Teresa Almeida

 


Paleta

 

O destaque vai para o azul “Frank Blue”.

 

Como diz a pesquisadora holandesa Li Edelkoort, “não temos mais que escolher entre ser retrô ou futurista, homem e mulher, minimalista e barroco. Agora tudo é permitido. A ideia é transformar nossas referências em um estilo único”.

As tendências anteriores estão mantidas e reforçadas: liberdade, refúgio bucólico, casa-atelier, escapar da rotina urbana, romantismo, orgânico e recriação do ambiente natural.

O que mais gosto nesses estudos de tendência é a oportunidades de conhecermos um pouco mais sobre as mudanças que ocorrem em nós mesmos, nesse mundo louco e fantástico!

Publicado originalnalmente na Revestir

Poderá gostar também de:

        

Share.

About Author

Este blog é de autoria da decoradora, organizadora de interiores, consultora em decoração e organização, Veronica Fraga, que também é fotógrafa, jornalista e colunista da Revista Rio Arquitetura e Design. Uma pessoa multifacetada e apaixonada por tudo o que é ligado a estética.

3 Comentários

  1. GREAT JOB, Ally & Brooke!! Now Mr Woodard and I KNOW where Daddy gets his talent from….listening to you both! Keep singing! Love, Mrs. Woodard

  2. HEY EVERYONE IF YOU HAVE A IPOD TOUCH,IPHONE,OR ANDROIDGET THE APPLICATION CALLED CHECKPOINTS. ITS FREEITS A APPLICATION WHERE YOU EARN POINTS AND GET PRIZES.IF YOU GET THE APPLICATION REGISTER WITH THIS CODE: ab1994AND YOU WILL GET ALOT MORE EXTRA POINTS WHEN YOU DO. SO PLEASE DO. CODE: ab1994 CODE: ab1994

Leave A Reply